You Know How - Viver em Portugal: o Diferencial da Segurança

Viver em Portugal: o Diferencial da Segurança

Tem um conjunto de qualidades que tornam Portugal um país atraente para se viver. Dentre as principais vantagens, destacamos uma: a segurança.

A maioria dos brasileiros apontam a segurança como um dos principais motivos de mudança para Portugal, obviamente, que a língua, o tempo, a comida também ajudam.

Não é novidade que Portugal é muito mais seguro do que o Brasil, porém, é surpreendente saber que outras nacionalidades, como os franceses, espanhóis, ingleses, alemães e holandeses também considerem Portugal mais seguro e tranquilo que os seus próprios países.

Os motivos podem ser os mais diversos, seja pelo tamanho relativamente pequeno das ‘grandes cidades’; seja pela ausência de visibilidade para o terrorismo; fato é que Portugal nos últimos 3 anos sempre esteve entre os 5 países mais pacíficos do mundo.

Os rankings de segurança

No último ano, em 2018, Portugal caiu da 3ª para 4ª posição entre os países mais pacíficos do mundo, indica o relatório do Índice Global da Paz. À frente de Portugal estão apenas Áustria, Nova Zelândia e, em primeiro lugar, a Islândia. Somente à título comparativo, sua vizinha, Espanha, está na 30ª posição neste mesmo ranking.

Imagem 7

Na última semana, inclusive o jornal espanhol El Mundo fez uma lista dos cinco melhores países para os reformados irem aproveitar a vida, e Portugal é o terceiro, tendo sido destacada a sua 4ª posição no Índice Global da Paz.

Já o Brasil aparece na 106ª posição, apontando como principais fatores as questões relacionadas à corrupção e a criminalidade. No entanto, destaca que países vizinhos Chile (28ª) e Uruguai (36ª), com boa política, conseguiram alcançar o top 50 para a tranquilidade geral.

Imagem 8

Para chegar nestes resultados foram utilizados 23 indicadores qualitativos e quantitativos, como a violência policial, segurança pública, taxa de homicídio, terrorismo, justiça social, participação em conflitos, grau de militarização e gastos com armas.

Além disso, há outros indicativos para a segurança ser o “brilho dos olhos” dos brasileiros, segundo a Numbeo, o nível de segurança que se sente ao caminhar sozinho de dia em Portugal é muito alto e de noite é alto.

Portugal é seguro, mas existe criminalidade?

Sim, os rankings apontam que Portugal tem uma excelente condição de segurança, no entanto, é claro que existe alguma criminalidade em Portugal, ainda mais em cidades como Lisboa e Porto. Porém os crimes violentos têm números reduzidos e o investimento em prevenção é uma das razões para que Portugal seja tão seguro.

O último Relatório Anual de Segurança Interna (RASI) apresentou os números comparativos de 2016-2017 que demonstram um aumento de 3,3% na criminalidade, embora os crimes classificados como violentos tenham tido uma diminuição de 8,7%.

Imagem 9

Portugal sempre foi seguro?

Portugal pelo seu tamanho e sua dimensão nunca foi considerado um país perigoso, mas nos últimos 10 anos, devido às políticas públicas implementadas, a criminalidade tem caído consideravelmente, veja o gráfico abaixo:

Imagem 10

Os crimes mais cometidos em Portugal?

Os crimes mais cometidos em Portugal são furtos e roubos. Em 2017, representaram os furtos aproximadamente 23%, do total de criminalidade no geral, e os roubos, aproximadamente 73% dos crimes violentos e graves.

Imagem 11

Com o que as pessoas devem se preocupar?

Pickpockets

Nos últimos anos, Portugal tem sido alvo de elevada atenção midiática, e consequentemente passou a ser um dos destinos mais procurados. Esse aumento fez com que os furtos nas cidades e vilas acontecessem com mais frequência. São aqueles incidentes que podem acontecer em qualquer lugar, quase imperceptíveis (sem violência), mas que podem gerar enormes inconvenientes, são os famosos pickpockets. Em geral, Lisboa e Porto são os principais alvos desses carteiristas (ou bate-carteiras), que agem especialmente em lugares turísticos e transportes públicos cheios (região de Belém, centro histórico e o emblemático Elétrico 28, em Lisboa, talvez sejam os lugares mais prováveis).
Esse tipo de ação é rápida e a pessoa mal consegue perceber, quando se dá conta, já não há carteira ou telefone no bolso.

Vendedores de “drogas”

Não se assuste se for abordado por alguém oferecendo maconha/haxixe ou cocaína nas ruas do centro histórico de Lisboa e do Porto, inclusive durante o dia, essa cena é recorrente. Essas pessoas não são traficantes, aplicam golpes. Não é preciso ter medo, bastar negar ou ignorar. A polícia não pode prendê-los porque eles não estão vendendo de fato drogas, mas sim louro/orégano prensado ou bicarbonato de sódio.

Ainda vale destacar, que desde novembro de 2001 que a aquisição, a posse e o consumo de drogas deixou de ser considerado crime em Portugal. O consumo foi descriminalizado, mas não despenalizado. Consumir substâncias psicoativas ilícitas, continua a ser um ato punível por lei, contudo deixou de ser um comportamento alvo de processo crime e passou a constituir uma contraordenação social.

Objetos deixados no carro

Infelizmente, há pessoas que aproveitam o volume de cidadãos “desligados” para furtar objetos que estão dentro do carro, sobretudo aqueles que estão à vista nos bancos. Algumas vezes pode acontecer deixarmos algo visível porque vamos sair rapidamente para ver algo.
Também não é recomendável deixar no porta-malas objetos de valor (laptops, câmeras fotográficas ou outros equipamentos), levar consigo será a melhor opção. Essa é uma prática que acontece, na maioria das vezes, em locais voltados ao turismo.

A minha experiência sobre segurança em Portugal

Se tem uma coisa que eu valorizo é a segurança, e quando falo de segurança estou dizendo da possibilidade de uma mulher voltar a noite para casa sem ter receios. Embora nunca tenha acontecido nada comigo em São Paulo, é claro que eu tomava as devidas precauções e andava sempre alerta. Poder andar a pé, tranquilamente, em qualquer horário, e se esbaldar nos transportes públicos, não tem preço. Pelo menos para mim. Desde que cheguei aqui, há três anos, na cidade de Lisboa, não lembro de ter sentido medo de assalto, constrangimento, agressões ou assédios. Não tenho carro aqui e confesso que utilizo bem pouco táxi, uber e afins, utilizo mesmo os transportes públicos em diversos horários, inclusive, de madrugada e nunca tive problemas de segurança.

Em suma, se você tiver a intenção de conhecer ou de viver em Portugal, perceberá que a sensação de segurança é enorme. Dificilmente você sentirá medo ou presenciará algum ato de violência – eu nunca vi - pois apesar de não haver uma presença ostensiva da polícia, existe a certeza do funcionamento do sistema policial.

Você tem dúvidas?

Tire-as aqui

Precisa de ajuda?
Fale conosco.

Foto Foto